Gabriela Leão // OFICIAL: Manual dos garotos

15 de abr de 2011

Manual dos garotos

              

Gente linda, eu achei novamente um artigo publicado por um garoto, ele dá dicas para entender um garoto, nada mais justo do que o consentimento de um garoto em relação a eles mesmos, não?

"Por que a gente gosta tanto de sexo? Por que fazemos xixi na privada toda? Por que a gente é insensível? Por que não nos declaramos? Por que coçamos tanto ‘lá’? Por que a Priscila do BBB 9 é gostosa e a sua namorada, que tem tamanha comissão traseira, não é? Por que traímos? Por que não nos interessamos por roupas? Por que adoramos futebol? Por quê? Por quê? Por quê?


Meninas, vocês querem saber tudo sobre a gente. Nós, obviamente, gostaríamos de saber tudo sobre vocês também. Então comentem com as suas esquisitices aí!

Você sabia que a gente não escolhe a hora de ficar excitado?

Pois é, então somos tarados de plantão. Não importa onde, nem o estímulo que temos, nem se passou a mulher mais feia do mundo em nossa frente. Se há alguma coisa em nosso corpo que não controlamos é a nossa ereção. Se nos lidamos bem com isso? Claro que não. Afinal, ninguém merece estar dentro do ônibus, com uma calça de moletom, e ver aquela coisa crescer sem motivo algum. O que rola é: a gente não escolhe a hora de ficar excitado. Da mesma forma que vocês não escolhem a hora de se apaixonar (e nós também não, é claro). Os meninos, na adolescência, ficam excitados o tempo todo. Seja na aula, seja na rua, seja no meio do futebol. Não é necessário um grande estímulo, como uma mulher maravilhosa passar na sua frente e dar uma rebolada, para a coisa acontecer. É assim, quando a gente menos espera, a coisa sobe. Daí, as meninas que reparam nessas coisas acham que somos uns belos de uns tarados. Mentira. Poxa! Quem dera saber mandar baixar guarda…
Por exemplo, na maioria dos dias, a gente acorda com a coisa ali, pra cima, mesmo depois de uma noite tranquila de sono. Vocês sabem o porquê? É fácil: ou tivemos uma noite com um sonho erótico, ou estamos com muita vontade de fazer xixi. O problema é que isso acontece quase todos os dias e, por isso, acabamos sujando o vaso todo. Ou você acha que é fácil fazer xixi de pé, com sono e com o negócio pronto para o ataque?
Ah! E ainda tem a clássica questão do coçar. A gente não vive com a mão lá porque estamos nos estimulando, não. A coisa coça, e isso nem é uma questão de higiene. Ou é, vai saber? Problema é que, dependendo da posição, o pênis incomoda. Daí tem que ajeitar, né? Colocar ele mais para o ladinho, arrumar a posição e tals. Outro ponto é que, quando os pêlos da região estão nascendo, eles coçam! Sim, eles raspam na nossa coxa e incomodam, incomodam, incomodam. Se não for por isso, bom… Prefiro não comentar.
Olha só, e a gente se masturba mais do que vocês mesmo, viu? Deve existir alguma explicação biológica para isso, mas eu só sei que é verdade. A gente tem mais vontade de fazer sexo, a gente ‘pensa muito naquilo’ mesmo e nossa masturbação é mais fácil que a de vocês (acredito eu). A ação pode rolar quando vemos algo que nos excite, como uma foto, um vídeo, ou com a força da mente, mesmo. Muitas vezes, quando estamos no ócio, a primeira coisa que vem em nossa mente é aproveitar o tempo para relaxar. Daí já era…
E não, não somos um bando de tarados insensíveis que só pensa em sexo. Nós também temos sentimento, mas, devido à sociedade em que vivemos, que nos cobra uma grande exposição de masculinidade o tempo todo, preferimos esconder nossas sensações para nós mesmos e comentar sobre os nossos casos de uma forma mais ‘macho’ de ser. Falamos do sexo, falamos da pessoa, mas nunca falamos do amor. É um defeito, eu sei. Mas somos assim, fazer o que? Para piorar, quando estamos em bando, ficamos mais bobos ainda. A todo o tempo, estamos analisando as meninas, fazendo comentários sem graça e aproveitando o tempo para colocar a conversa em dia – coisas que vocês também fazem, vai. Em grupo, tudo fica mais engraçado, a conversa flui mais e a bobeira cuida da nossa mente. Ali é nosso tempo para se divertir, compartilhar dúvidas – mesmo que de forma infantilóide – e dar um pouco de risada para esquecer da vida.
É claro que você já deve ter percebido, também, que odiamos DR. Como eu já disse lá em cima, não somos bons em expor o que sentimos, logo, não somos bom em discutir o que vivemos. A gente vive e pronto, vamos aproveitando os momentos juntos e tentando evitar brigas. Se elas acontecem, tentamos resolver, sem cair no lenga lenga de conversas longas, demoradas e que cortam o coração. Por fim, o futebol é sagrado simplesmente porque, assim como vocês adoram um shopping, a gente adora um esporte. A gente adora torcer. A gente adora vibrar. A gente adora gritar “GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL” e chorar quando o nosso time perde uma partida.



LEMBRANDO: no texto, generalizo os garotos. Nem todos gostam de futebol, nem todos se masturbam demais, nem todos não expõem os seus sentimentos, nem todos acordam de pênis ereto. Assim como vocês, cada um é diferente do outro e cada um tem uma particularidade. Vai de você descobri-la! 

2 comentários: